Mestre em saúde coletiva fala da importância de buscar ajuda no enfrentamento aos problemas de saúde mental

Tema é discutido em série de webinários especiais alusivos ao Setembro Amarelo

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 29/09/22

Valorização da vida e saúde mental foi o tema do primeiro webinário especial do Setembro Amarelo, promovido pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). O evento ocorreu nesta quarta-feira (28) e teve como palestrante o mestre em Saúde Coletiva Eduardo Moita. Nesta quinta-feira (29), o assunto será abordado pelo policial federal e mestrando em Psicologia Felipe Machado.

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização a respeito do suicídio. “No mundo, a palavra de ordem dessa campanha é acolhimento. Acolher aquele que está passando por algum transtorno, por alguma dificuldade de ordem psicológica”, disse Eduardo Moita. O palestrante lembrou, também, que o tema deve ser tratado não só neste mês, mas ao longo de todo o ano.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que, no mundo, a cada 40 segundos uma pessoa retira a própria vida. “Esses dados referem-se a pessoas que têm importância na família, nos amigos e também na sociedade, mas a dor dessa pessoa é maior do que a vontade de viver”, disse Eduardo.

Tratamento

Para combater as doenças relacionadas à saúde mental, o primeiro passo é reconhecer que a pessoa em sofrimento precisa de ajuda. Outros fatores também são fundamentais no tratamento, são eles:

• Acompanhamento médico regular;
• Realização de psicoterapia;
• Prática assídua de atividade física;
• Investimento em qualidade de vida, com tempo para lazer;
• Fortalecimento de vínculos sociais, entre outros.

“A vida é cíclica, passamos por bons e maus momentos, mas nos períodos ruins, não precisamos ficar 10 dias sem dormir direito, por exemplo. Podemos procurar uma ajuda profissional, um médico, um psicólogo que, conosco, vai ajudar a entender o momento da vida e ajudar a passar por essa situação ruim”, informou o palestrante.

Saúde mental no trabalho

Durante o webinário, Eduardo Moita também lembrou que as atribuições do policial federal podem interferir no emocional, mas orienta: “assim como em uma operação de resgate de afogamento, na carreira policial eu preciso ter o cuidado para não afundar em um sofrimento, em uma carga daquilo que está me envolvendo no meu trabalho. É normal fatores externos interferirem no meu dia a dia, então devo buscar estratégias para me fortalecer”.

Inteligência emocional foi outro tópico abordado no evento. Este assunto será aprofundado pelo policial federal e mestrando em Psicologia, Felipe Machado, durante o segundo webinário especial do Setembro Amarelo, programado para hoje (29), às 19h. Acompanhe no canal da Fenapef no Youtube: https://www.youtube.com/tvfenapef

OUTRAS NOTÍCIAS

Filiados da Fenapef podem ter assessoria para migração para o Regime Previdenciário Complementar

Prêmio Policiais Federais de Jornalismo anuncia os vencedores da sexta edição

Novembro azul: cuidados com a saúde do homem

Conheça os finalistas do Prêmio Policiais Federais de Jornalismo 2022