Sindicato dos Policiais Federais em SP empossa nova Diretoria

Susanna do Val Moore é reconduzida para o segundo mandato consecutivo, defendendo a modernização da corporação

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 17/03/23

Lutar pela modernização da Polícia Federal, com direito à estruturação da carreira, bem como por mais investimentos em tecnologia, e priorizar a saúde mental de quem atua na corporação serão algumas das bandeiras da nova gestão do Sindicato dos Policiais Federais em São Paulo (SINPF/SP). A Diretoria Executiva e o Conselho Fiscal para o mandato 2023/2025 tomou posse oficialmente ontem (16), com a recondução de Susanna do Val Moore no comando da entidade. Este será o segundo mandato da agente – a primeira mulher a chegar à Presidência na história do SINPF/SP, criado em 1989 para defender os interesses dos policiais federais e de demais servidores administrativos da instituição no estado.  

O evento ocorreu no Auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo e contou com a participação do vice-presidente da Fenapef, Luiz Carlos Cavalcante.

Apesar da mudança em alguns nomes que ficarão à frente do sindicato dentro dos próximos anos, Susanna reitera que “as bandeiras permanecem intactas”, sobretudo quanto à cobrança de melhores condições de trabalho para todos os servidores da corporação, incluindo investimentos em tecnologia, e a consolidação da PF como instituição de Estado.

“Face à organização e à audácia dos criminosos, seja na política ou nas fronteiras, a PF não pode retroceder um só milímetro. A dotação inicial dos programas de modernização, que prevê melhorias em infraestrutura e constantes investimentos na corporação, deve ser aplicada na totalidade. Uma operação policial não pode ser prejudicada, por exemplo, por falta de recursos para montar uma equipe e deslocá-la para a investigação. Sem investigação, não chegamos aos criminosos; não fazemos Justiça", detalha Susanna, agente da PF há 15 anos.

Com passagem pela Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol), como agente internacional, Susanna adianta que a nova gestão no SINPF/SP também vai investir na saúde mental de quem atua na corporação, nas mais diferentes funções. E justifica: os índices de depressão e de suicídio entre os servidores da PF aumentaram significativamente nos últimos anos.

Eleita presidente do SINPF/SP pela primeira vez em 2019, Susanna e a Diretoria Executiva da gestão 2020/2022 foram responsáveis por importantes conquistas para a PF do estado de São Paulo, como a proteção da carreira frente à progressão e o congelamento salarial; a luta pelo plano de saúde para os servidores ativos, inativos e pensionistas; e a defesa da posse e do porte de arma para policiais federais aposentados.

Hoje, o SINPF/SP tem aproximadamente mil sindicalizados, entre agentes, escrivães, papiloscopistas, delegados, peritos e agentes administrativos da PF. Para ser sindicalizado, é preciso ser servidor público da instituição.

Além de Susanna, tomam posse na quinta-feira o agente Sérgio Roberto Alves Sebastião, vice-presidente; o escrivão Aroldo Costa, secretário-geral; o agente administrativo Carlos Carvalho Sobrinho, diretor financeiro; o agente Fernando Fernandes, diretor jurídico; o escrivão Marcelo Varela, diretor de Comunicação Intersindical; o agente Vinícius Belluzzo Corrêa e Silva, diretor social; o agente Norival Ferreira, diretor adjunto; e o escrivão Marco Antonio Scandiuzzi, diretor adjunto, além de membros do Conselho Fiscal.

Com informações da Assessoria de Imprensa do SINPF/SP.

OUTRAS NOTÍCIAS

Fenapef trata da aposentadoria dos policiais federais que ingressaram na corporação entre 2013/19

Solidariedade - Ranieri

Acordo com reajuste salarial de 9% é assinado pelo governo e entidades de servidores públicos

Assembleia Geral Extraordinária: confira os temas discutidos no primeiro dia do evento