Entidades representativas dos policiais federais repudiam contraproposta de reestruturação salarial apresentada pelo MGI

As manifestações ocorreram durante a Sessão Solene em Homenagem ao Dia do Policial Federal no Plenário da Câmara dos Deputados

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 29/11/23

Ocorreu, nesta quarta-feira (29), a Sessão Solene em Homenagem ao Dia do Policial Federal no Plenário da Câmara dos Deputados. O ato, realizado por iniciativa do deputado federal Aloísio Mendes (Republicanos/MA)  enalteceu a atuação desses servidores, abriu espaço para que as entidades representativas dos policiais federais manifestassem seu repúdio à contraproposta de reestruturação salarial apresentada na tarde de ontem (28) pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI).

A contraproposta apresentada pelo MGI separa os cargos excluindo os servidores administrativos da reestruturação. Ela também promove o desrespeito à paridade entre ativos e aposentados e pensionistas ao criar uma classe superior sem estender os respectivos benefícios ao segmento. Cria uma classe na entrada da carreira que retira a atratividade do ingresso na carreira e escalona a reestruturação em três anos, sendo que o início do reajuste salarial começa a partir de 2025 e termina em 2026, entre outras coisas.

Ao tomar a palavra na tribuna, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Marcus Firme, frisou que o momento que deveria ser de celebração, mais uma vez, é utilizado para manifestar repúdio à atitude do governo ante à reestruturação salarial voltada à categoria.

“Estamos aqui não com alegria. Alegres por estar comemorando o Dia do Policial Federal, porém ontem estivemos no Ministério da Gestão e fomos surpreendidos por uma proposta que eu considero indecorosa”.

O presidente lembrou ainda que há nove meses as entidades representativas dos policiais federais vêm negociando um projeto de reestruturação salarial chancelado pelo próprio governo, De acordo com Marcus Firme, a proposta apresentada ontem é um projeto totalmente descabido, que desagrega toda a Polícia Federal ao criar novas classes: uma superior que não é extensiva aos aposentados e outra inferior, que atinge os servidores ingressantes, tornando o acesso à carreira muito menos atrativo. “Deixo aqui o nosso repúdio, mais uma vez!”.

As demais entidades foram na mesma linha e enfatizaram o repúdio à proposta apresentada pelo MGI, que quebra a paridade entre ativos e inativos, cria novas classes que desvalorizam a carreira policial federal e ainda deixa os servidores administrativos de fora da reestruturação.

A solenidade

A Sessão Solene em Homenagem ao Dia do Policial Federal no Plenário da Câmara dos Deputados foi presidida pelo deputado Aloísio Mendes e foi prestigiada pelos parlamentares Ubiratan Saunderson (PL/RS), Eduardo Pazuello (PL/RJ), Silas Câmara (Republicanos/AM), além do diretor-geral em exercício da Polícia Federal, Gustavo Paulo Leite de Souza.

OUTRAS NOTÍCIAS

Saiba como será o expediente da Fenapef neste Carnaval

Aposentado e pensionista: você pode ter direito à isenção do IRPF

Integralidade e paridade na aposentadoria: possível resposta nos próximos 90 dias

Fenapef prestigia posse do novo ministro da Justiça e Segurança Pública