Comissão Eleitoral Nacional promove debate para apresentação de propostas dos candidatos à presidência

Candidata da chapa 2 não compareceu. Regras determinam concessão de 40 minutos para o candidato presente

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 09/11/21

Cerca de 1,5 mil policiais federais assistiram, nessa segunda-feira (08), ao debate promovido pela Comissão Eleitoral Nacional para apresentação das propostas dos dois candidatos à presidência da Fenapef para o triênio 2022/2024. A candidata da chapa 2, Fabíola Simões, não compareceu.

“É importante lembrar que as duas chapas foram formalmente convidadas”, esclareceu o mediador, o jornalista Kenzô Machida. A chapa 2 encaminhou documento à Comissão Eleitoral Nacional informando que não participaria. O documento foi lido na íntegra, no início do evento. Nele, Fabíola Simões critica a organização do debate e se queixa de “imposição de regras”.

O mediador lembrou que, de acordo com as regras, caso compareça apenas um dos candidatos, este poderia falar por até quarenta minutos, com duas perguntas feitas pelo mediador e o restante do tempo seria para apresentação de propostas. O presidente da Comissão Eleitoral, Alcides Teixeira Neto, reforçou a regra.

O candidato à presidência pela Chapa 1, Marcus Firme, então, falou sobre as propostas da chapa e apresentou os demais integrantes. Reforçou que a chapa tem foco na recomposição salarial e assumiu o compromisso de não apoiar quaisquer propostas que impliquem prejuízos para os aposentados e pensionistas. No total, a chapa apresentou 19 itens e compromissos.
Firme também lamentou que as eleições da Fenapef estejam sendo permeadas por fake news, que circulam entre os grupos de policiais federais. Ele pediu aos sindicalizados que procurem se informar sobre quem são os candidatos e que votem com consciência.

OUTRAS NOTÍCIAS

COMUNICADO Nº 016/2021-JUR/FENAPEF

Revelados os vencedores do 5º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

É hoje! Fenapef e Sindipol/DF anunciam vencedores do 5º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

Diretores da Fenapef buscam, no Congresso, recomposição das perdas salariais