SSDPFRJ recebe a visita do novo Superintendente da PF/RJ

10 de Abril de 2018

Antes mesmo de ser empossado solenemente , em cerimônia a ser realizada no próximo dia 20/04, o novo superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, o DPF Ricardo Saadi, acompanhado do DRCOR, DPF Sérgio Busatto, e do DREX, DPF Carlos Henrique, se reuniu na última desta sexta-feira (06/04) com o Presidente do SSDPFRJ, Luiz Carlos Cavalcante, o secretário geral Gladiston Alves da Silva, o vice-presidente do SSDPFRJ, Robson André, o diretor jurídico Bruno Luz, a diretora de patrimônio Janaína Magalhães e o presidente da Ansef/RJ, Iranilmo Melo Lopes. O grupo tratou de assuntos como aumento da produtividade na Polícia Federal do Rio, a falta de integração do Siscart, transporte de intimações, a escassez de vagas de estacionamento e déficit de servidores na instituição.

“Nós, da diretoria, agradecemos a presença do superintendente aqui em nossa Sede e destaco que a visita é histórica, pois desde 2010 não temos um ato diplomático como este, o que demonstra a boa relação que a sua gestão pretende ter com o servidor. Quero ressaltar que nós, da Diretoria do SSDPFRJ, trabalhamos com lealdade. Nessa gestão sindical não é a minha vontade ou da diretoria que prevalece é  a vontade da maioria. Não houve, e nem haverá, um requerimento sequer que eu não tenha apresentado  ou vá apresentar a Superintendência que não seja o desejo da categoria”, declarou o presidente do SSDPFRJ, Luiz Carlos Cavalcante.

O DPF Saadi afirmou que irá mapear a Superintendência, ampliar os resultados da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro. Ele solicitou ajuda da Diretoria para estabelecer políticas de incentivo e com isso aumentar a produtividade operacional dos Policiais Federais e conseguir adesão dos funcionários para uma pesquisa de avaliação organizacional. O superintendente avalia a possibilidade de criar um índice de metas para incentivar a produção.

“Queremos ouvir propostas e sugestões da categoria para aumentar a produtividade e outras que resolvam problemas institucionais, mas é importante pensar que temos que trabalhar com a realidade concreta. Nosso objetivo também é trabalhar integrado a outras instituições”, frisou o superintendente Saadi adiantando que irá assinar convênio para dar acesso aos policiais federais ao portal da Secretaria de Segurança do Estado.

O secretário-geral do SSDPFRJ, Gladiston Alves, trouxe algumas demandas reprimidas da categoria no Rio. Ele argumentou que o Registro Eletrônico de Frequência (REF), é incabível para atividade policial e grande fator de desmotivação do efetivo, que deveria ser usado como ferramenta de produtividade, acaba sendo usado como “instrumento de perseguição”. O APF Bruno Luz abordou sobre a escassez de vagas de estacionamento e o exagero de vagas reservadas e sobre o transporte de diversos processos, até a justiça, o que toma o tempo dedicado as investigações. “É uma desvalorização do policial de nível superior, ter que levar pilhas de processos para a justiça”, avaliou.

O presidente da Ansef/RJ disse que a Superintendência da  Policia Federal deveria aumentar a sua integração com a sociedade, como já faz a ANSEF e o SSDPFRJ, que debatem segurança publica nos Conselho de Segurança Pública no Estado do Rio de Janeiro ( CONSPERJ) . O superintendente se colocou à disposição para o diálogo e estará atento às principais reivindicações da categoria, as quais ouviu detidamente. Será estabelecido também um calendário de reuniões com os representantes sindicais a partir do mês de abril.

SSDPF/RJ



Outras notícias