Sanderson detalha atuação no Congresso em defesa dos direitos dos policiais federais

Deputado participou da abertura dos trabalhos da AGE da Fenapef, na manhã desta terça-feira (26)

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 27/10/21

“Minha principal tarefa é fazer o melhor pela família policial federal”. Assim o deputado Sanderson (PSL-RS) resumiu sua atuação no Congresso e junto ao Governo Federal. Em sua fala à Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), nesta terça-feira (26), o deputado falou de sua atuação para defender a categoria em temas como o novo Código de Processo Penal (CPP), a Lei Antiterrorismo e a Reforma Administrativa, entre outros.

Sanderson passou boa parte da manhã na Câmara dos Deputados, reunido com o Grupo de Trabalho que analisa o novo CPP. Na AGE, ele detalhou alguns pontos que foram modificados na última reunião: a questão do laudo investigativo e o relatório de investigação. “Estabelecemos que o relatório de investigação do policial federal integrará o inquérito policial independentemente de ele ser ou não conclusivo”, disse.

Ele lembrou a longa jornada pela construção de um Código moderno e que preserve a autoridade do policial federal. O relatório “original”, apresentado pelo relator, o deputado João Campos (Republicanos – GO), citava mais de cem vezes a figura do delegado de polícia. O que a Fenapef defende é a preservação da autoridade policial.

A tramitação do CPP percorre um caminho legislativo bastante tumultuado. A Comissão Especial que debatia o texto foi extinta e substituída por um grupo de trabalho (GT). A confusão é tamanha que em uma das reuniões, o relator e o deputado Capitão Augusto (PL-SP) tentaram negar a representatividade do parlamentar gaúcho junto a policiais de diversas corporações.

O presidente da Fenapef, Luís Antônio Boudens, lembrou o episódio e recordou que a reação da entidade forçou um recuo. “Tanto o deputado Sanderson representa os policiais que buscamos seu apoio, inclusive para que a verdade fosse esclarecida: a de que não havia consenso sobre o texto apresentado pelo relator e que muitas questões ainda são controversas, especialmente porque passavam a ideia de corporativismo”, disse Boudens. “O esclarecimento foi necessário, porque combatemos trechos essencialmente corporativistas e que preservavam as distorções entre os cargos".

O deputado também explicou a necessidade de manter relações cordiais tanto no Parlamento quanto junto ao Executivo. “Nós garantimos essa relação e os avanços que obtivemos em relação ao CPP são prova disso”, detalhou.

Sanderson disse que seu mandato continuará priorizando os direitos e as conquistas dos policiais federais e se colocou à disposição da Fenapef para novas batalhas.

OUTRAS NOTÍCIAS

COMUNICADO Nº 016/2021-JUR/FENAPEF

Revelados os vencedores do 5º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

É hoje! Fenapef e Sindipol/DF anunciam vencedores do 5º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

Diretores da Fenapef buscam, no Congresso, recomposição das perdas salariais