Rondônia Ao Vivo - Ação: Nota de repúdio dos delegados da Polícia Federal

Fonte: Rondônia Ao Vivo

Data: 24/10/22

Foto: Divulgação

A Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF), entidade de âmbito nacional que congrega 27 sindicatos estaduais e representa mais de 14.000 policiais federais brasileiros, vem a público manifestar o seu mais veemente repúdio ao ato de violência praticado pelo ex-deputado e ex-presidente nacional do PTB Roberto Jefferson, o qual recebeu (segundo vídeo de sua autoria postado nas redes sociais), a tiros e granada, uma equipe de quatro policiais do Setor de Inteligência Policial da Superintendência Regional da PF do Rio de Janeiro (SIP/SR/PF/RJ), durante o cumprimento de mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal, vindo a ferir dois policiais federais, sendo uma Agente e um Delegado.

A reação violenta contra policiais é um atentado contra o próprio Estado e uma ofensa incomensurável à ordem jurídica. A inconformidade em face de decisões judiciais deve ser demonstrada no terreno adequado, que são os próprios autos, nos termos da Constituição Federal de 1988, e nunca, através do exercício arbitrário.

A FENAPEF acompanha o caso de perto e prestará todo apoio, por intermédio do Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro (SSDPFRJ), aos colegas policiais federais feridos durante o cumprimento da missão.

Outrossim, a Federação Nacional dos Policiais Federais cobrará das autoridades competentes a rigorosa apuração dos fatos até a efetiva responsabilização criminal do autor pelas múltiplas tentativas de homicídio praticadas contra os integrantes da equipe no exercício da função policial. 

Brasília, 23 de outubro de 2022

 

Marcus Firme dos Reis

Presidente da Fenapef

OUTRAS NOTÍCIAS

Estado de Minas - O que se sabe da prisão de Roberto Jefferson

Hora do Povo - Fenapef repudia atentado de Jefferson contra "a vida de policiais federais"

Entidades ligadas à PF repudiam reação de Jefferson à prisão

Bol - Jefferson deveria ter sido tratado como criminoso perigoso, diz Fenapef