Ronaldo Bento é o primeiro agente de Polícia Federal a se tornar ministro

Fonte: Blog do Elimar Côrtes

Data: 31/03/22

O agente de Polícia Federal Ronaldo Vieira Bento tomou posse nesta quinta-feira (31/03) como novo ministro da Cidadania. Escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), Ronaldo Bento é o primeiro profissional da PF, que não pertence aos quadros de Delegados de Polícia, a se tornar ministro de Estado no Brasil. A decisão de Bolsonaro em nomear um agente federal ao cargo de ministro quebra um paradigma e pode revelar ao mercado que os profissionais da PF, independente do cargo que ocupam, são capazes para enfrentar diversos desafios profissionais. A posse de Ronaldo Bento, que até então ocupava o cargo de chefe de Assuntos Estratégicos do Ministério da Cidadania, aconteceu em solenidade realizada no Palácio do Planalto.

Além de Ronaldo Bento, oito novos ministros foram empossados pelo presidente Jair Bolsonaro. Ronaldo passa a comandar a Pasta em substituição a João Roma, que retorna ao Congresso como deputado federal (PL-BA).

“Assumo hoje uma grande responsabilidade, com o orgulho de ser um servidor público com 27 anos de carreira. Sempre servi o meu País com todas as minhas forças. Faço parte do time do Ministério da Cidadania há mais de um ano e agora recebo a tarefa de dar prosseguimento a um trabalho histórico para a transformação do Brasil”, afirmou Ronaldo Bento.

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), o capixaba Marcus Firme, participou da posse de Ronaldo Bento. “Nosso colega Ronaldo assume um dos ministérios  mais importantes da Esplanada. Parabenizamos o colega e desejamos a ele um excelente mandato”, escreveu Marcus Firme.

Vice-presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Espírito Santo, Hélio de Carvalho Freitas Filho, o Hélio Neto, emendou: “Registro histórico que estampa com clareza como Agentes, Escrivães e Papiloscopistas da Polícia Federal são qualificados e capazes de assumir Postos de Comando”.

Os novos ministros não discursaram na cerimônia do Planalto. Em seu discurso de despedida, João Roma agradeceu a todos os colaboradores do Ministério da Cidadania e aos que o acompanharam desde que assumiu a pasta, em 24 de fevereiro de 2021.

“Quero agradecer a todos os servidores do Ministério da Cidadania, a toda a equipe do Governo Jair Bolsonaro pela acolhida e pelo incentivo e a todos os meus colegas congressistas, porque sou deputado federal com muito orgulho e prezo por jamais decepcionar o povo baiano, que me trouxe a Brasília para ser a voz dos mais necessitados. Agradeço em especial ao presidente Bolsonaro”, disse João Roma.

O ex-ministro se emocionou ao se recordar daqueles que o apoiaram em sua vida pública, em especial sua mãe, Graça Violland, que faleceu em maio do ano passado: “Lembro, um ano atrás, quando tomei posse, de sua alegria, quando fiz referência a ela e agradeci a todo ensinamento e ao exemplo que ela me deu pelo gosto ao trabalho. Naquele dia da posse, quando falei com ela ao telefone, ela disse: ‘Parabéns, meu filho! Essa é a sua vocação. Você nasceu para isso’”.

Mestre em direito

Ronaldo Vieira Bento, 45 anos, é natural de Salvador (BA), casado e pai de três filhos. Mestre em Direito, é policial federal e 1º tenente da Reserva Não Remunerada do Exército Brasileiro. Servidor público de carreira do Executivo Federal desde 2005, atuou como coordenador do Conselho Estadual de Segurança Pública Portuária e como membro titular do Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção do Governo Federal.

Foi ouvidor-geral no Ministério da Justiça e Segurança Pública e chefe da Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos do Ministério da Cidadania, contribuindo para a implantação de importantes políticas públicas, como o Programa Auxílio Brasil e o Brasil Fraterno-Comida no Prato.

Novos ministros

O presidente Jair Bolsonaro publicou, no Diário Oficial da União desta quinta-feira (31/03), uma série de decretos que exoneram, a pedido, ministros e secretários, abrindo a eles a possibilidade de se candidatarem a cargos públicos nas próximas eleições. No Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, foi exonerado do cargo o ministro Marcos César Pontes. Em seu lugar, foi nomeado Paulo César Rezende Alvim. Rogério Marinho deixa o Ministério do Desenvolvimento Regional, pasta que terá à frente Daniel de Oliveira Duarte Ferreira.

Damares Alves deixa o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que terá, a partir de agora, como ministra Cristiane Rodrigues Britto. No Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a ministra Tereza Cristina dá lugar a Marcos Montes Cordeiro, e no Ministério do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni foi substituído por José Carlos Oliveira. No Ministério da Infraestrutura, sai Tarcísio Gomes de Freitas e entra em seu lugar Marcelo Sampaio.

O Ministério do Turismo será comandado por Carlos Alberto Gomes de Brito, que substitui Gilson Machado. Vinculada à pasta, a Secretaria Especial da Cultura também tem alteração, com a saída do secretário Mário Frias, substituído por Hélio Ferraz de Oliveira.

Foram publicados também decretos alterando as chefias da Secretaria de Governo, pasta até então ocupada por Flávia Carolina Péres (Flávia Arruda), que dá lugar a Célio Faria Júnior; e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), com a exoneração do diretor-geral Alexandre Ramagem Rodrigues.

(Com informações também da Agência Brasil)

OUTRAS NOTÍCIAS

Estado de Minas - O que se sabe da prisão de Roberto Jefferson

Hora do Povo - Fenapef repudia atentado de Jefferson contra "a vida de policiais federais"

Entidades ligadas à PF repudiam reação de Jefferson à prisão

Bol - Jefferson deveria ter sido tratado como criminoso perigoso, diz Fenapef