Presidente Boudens e deputado Aluísio Mendes abrem a AGE da Fenapef

Um dos representantes dos policiais federais no Congresso, Mendes destacou trabalho da Federação para garantir conquistas da categoria

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 26/10/21

A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) começou, nesta terça-feira (26), com um balanço das conquistas da categoria e um histórico dos enfrentamentos a propostas que retiravam direitos já estabelecidos.

Um dos mais importantes representantes dos policiais federais no Congresso Nacional, o deputado Aluísio Mendes (PSC-MA) destacou o trabalho da direção da Fenapef e detalhou o intrincado xadrez político que, segundo ele, muitas vezes, “faz com que não perder seja uma conquista”. Casos como o da Reforma da Previdência e o da Reforma Administrativa (ainda não votada em plenário), segundo ele, são exemplos disso.

Mendes explicou que os avanços não dependem apenas do Congresso e são definidos por uma boa relação com o Executivo, que também é responsável pelo encaminhamento de propostas. “Não é possível avançar fechando portas", alertou.

O parlamentar destacou a capacidade de articulação da gestão da Federação e enfatizou que o presidente Luís Antônio Boudens, que encerra seu mandato no final deste ano, “vai deixar um grande legado”. Ele detalhou as negociações em torno da Reforma Administrativa. Embora não acredite que a proposta vá a plenário e seja aprovada, ele falou sobre a construção do relatório que foi aprovado na Comissão Especial.

“Conseguimos retirar pontos que beneficiavam um único cargo”, destacou. Entre esses pontos, está a garantia de que policiais federais continuam entre as carreiras típicas de Estado. Também foi essa articulação que assegurou a retirada do texto da renomeação do chefe da Polícia Federal, que seria designado Delegado-Geral da Polícia Federal em vez de Diretor-Geral, como é atualmente. A proposta original também previa o foro privilegiado para o DG. “Avisamos que nosso grupo votaria contra o relatório se ele fosse apresentado como estava e garantimos as alterações”, disse.

Situações perigosas

O presidente Boudens também destacou a necessidade de articulação com o Congresso Nacional e o Executivo “Foi por meio dessas articulações que nós conseguimos evitar situações perigosíssimas, especialmente em temas como as reformas da Previdência e Administrativa. “Enquanto o outro grupo estava buscando vantagens corporativas, nós buscamos defender a categoria”, lembrou.
Boudens disse que essa postura garantiu credibilidade e respeito à Fenapef e a construção de uma relação respeitosa tanto com o Parlamento quanto com o Governo.

A abertura dos trabalhos também foi um momento de confraternização, depois de um ano e meio de assembleias virtuais por conta da pandemia. O formato híbrido (presencial e virtual) facilita que mesmo os representantes que não puderam comparecer participem de forma virtual.

OUTRAS NOTÍCIAS

COMUNICADO Nº 016/2021-JUR/FENAPEF

Revelados os vencedores do 5º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

É hoje! Fenapef e Sindipol/DF anunciam vencedores do 5º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo

Diretores da Fenapef buscam, no Congresso, recomposição das perdas salariais