Prêmio Policiais Federais de Jornalismo anuncia os vencedores da sexta edição

O Grande Prêmio foi para a matéria do Fantástico, da Rede Globo, sobre mergulhador a serviço de traficantes

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 17/11/22

Os vencedores da sexta edição do Prêmio Policiais Federais de Jornalismo foram revelados na noite desta quarta-feira (16), em evento promovido pela Federação Nacional dos Policias Federais (Fenapef) e Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (Sindipol/DF). As matérias que garantiram o primeiro lugar de cada categoria foram publicadas na Folha de S.Paulo, Portal Metrópoles, Rádio Gaúcha e TV Globo. Um trabalho produzido no Centro Universitário Faesa, foi o vencedor da categoria estreante, voltada para alunos de jornalismo.

A cerimônia de premiação, conduzida pelo jornalista e apresentador Giulianno Cartaxo, foi transmitida ao vivo pelo canal da Fenapef no Youtube e contou com a participação do presidente da Federação, Marcus Firme, e do presidente do Sindipol/ DF, Egídio Araújo.

A entrega do Prêmio é realizada, há seis anos, no dia 16 de novembro, em homenagem ao Dia do Policial Federal, e destina-se a trabalhos jornalísticos com enfoque na segurança pública.

A iniciativa da Fenapef e do Sindipol/DF celebra talentos do jornalismo que, de forma criativa e aprofundada, contaram histórias de destaque na cobertura de segurança pública em diferentes categorias: Televisão, Webjornalismo, Fotografia, Impresso, Rádio e Estudantes de Jornalismo. A edição de 2022 do Prêmio foi prestigiada pelos principais veículos da imprensa brasileira.

“É com muita alegria que estamos aqui, pelo sexto ano, celebrando a dedicação de policiais que se empenham diariamente na construção da segurança pública e, também, homenageando quem conta essas histórias com talento e profissionalismo. Esta é a noite em que os policiais federais reconhecem publicamente a importância do trabalho da imprensa”, disse o presidente da Fenapef, Marcus Firme.

Durante o evento, o presidente do Sindipol/DF, Egídio Araújo, também agradeceu a participação de todos e lembrou que o Prêmio Policiais Federais de Jornalismo já se tornou tradição. “Esta iniciativa tem sido um sucesso e, a cada ano, alcança relevância entre profissionais e na sociedade”, comentou.

Os vencedores

A primeira categoria anunciada foi Fotojornalismo. Garimpo ilegal de ouro no rio Madeira, de Igo Estrela, foi o trabalho vencedor. A série de fotos mostra a invasão de balsas garimpeiras na Amazônia. O fotógrafo do Metrópoles acompanhou a vida dos garimpeiros e o combate das Forças Armadas contra a ação ilegal na região.

O Metrópoles também conquistou a categoria Webjornalismo. A matéria A rota do tráfico humano na fronteira da Amazônia, de Mirelle Pinheiro, mostra como acontecem o aliciamento e a travessia de traficantes e vítimas dentro e fora do país.

É para o Rio Grande do Sul que o prêmio de Rádio será enviado. Como está a investigação do caso do torcedor do Brasil de Pelotas, de Pedro Petrucci, conta a história de torcedores agredidos após um jogo contra o São José, pelo Brasileirão Série C, em Porto Alegre. A matéria foi veiculada na Rádio Gaúcha.

Migrantes, de Raquel Lopes, venceu a categoria Impresso. A série de reportagens, publicada na Folha de S. Paulo, mostra a migração irregular de brasileiros para os EUA e o esvaziamento do leste de Minas Gerais. O conteúdo expôs os riscos que essas pessoas correm. Há casos de morte, estupro e sequestro.

Roger Santana venceu duplamente. Primeiro, na categoria Televisão e depois, o jornalista levou o Grande Prêmio. Fantástico mostra como agia mergulhador a serviço de traficantes mostrou o tráfico internacional de drogas, combatido pela Polícia Federal. Um mergulhador, conhecido como "aquaman do crime", era contratado para esconder cocaína no casco de navios. Essa matéria especial foi ao ar no Fantástico, da Rede Globo.

A primeira vencedora na categoria Estudantes de Jornalismo é Nathalia Ferreira, do Centro Universitário Faesa. Em seu trabalho de conclusão de curso, ela produziu o livro reportagem Para Sempre, Elas, em que conta a história de oito mulheres da Grande Vitória que foram vítimas de feminicídio.

Todos os vencedores receberão prêmio em dinheiro, além do tradicional troféu, que certifica o reconhecimento dos trabalhos produzidos. Confira aqui os links dos trabalhos finalistas da sexta edição do Prêmio Policiais Federais de Jornalismo.

OUTRAS NOTÍCIAS

Filiados da Fenapef podem ter assessoria para migração para o Regime Previdenciário Complementar

Novembro azul: cuidados com a saúde do homem

Conheça os finalistas do Prêmio Policiais Federais de Jornalismo 2022

A Fenapef parabeniza o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva