Policiais federais sobre Bolsonaro: “Decepção, abandono e indignação”

Federação Nacional dos Policiais Federais diz: "Reajuste salarial e reestruturação da categoria são promessas não cumpridas pelo presidente"

Fonte: Metrópoles

Data: 06/07/22

Foto: Reprodução

A categoria dos policiais federais, representada pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), que une os 27 sindicatos estaduais, divulgou nesta terça-feira (6/7) uma nota de repúdio onde reclama “veementemente” do “descaso” que, segundo ressalta, tem sido dispensado pelo governo Jair Bolsonaro (PL) à Polícia Federal.

A Fenapef destaca que a “categoria hoje vivencia um momento cujos sentimentos são de grande decepção, abandono e indignação”. E coloca que o o presidente Bolsonaro fez “promessas públicas de valorização da segurança pública durante a campanha de 2018 e, mais recentemente, da própria reestruturação das carreiras policiais da União”. “Nada se concretizou”, diz a nota.

A revolta dos policiais federais se dá depois do recuo do presidente Bolsonaro em conceder reajuste e reestruturar a categoria. Em junho, o presidente disse que não haverá aumento salarial para servidores públicos em 2022, depois de ter ventilado um reajuste de 5%. Porém, os pedidos de reestruturação de algumas categorias geraram empecilhos adicionais.

O reajuste custaria quase R$ 7 bilhões – o que, segundo Bolsonaro, iria exigir cortes em vários ministérios e “atrapalhar o funcionamento do Brasil”.

“Então, eu lamento. Pelo que tudo indica, não será possível dar nenhum reajuste para servidor no corrente ano. Mas já está na legislação nossa, a LOA etc., de que, para o ano que vem, teremos reajustes e reestruturações”, disse Bolsonaro, em entrevista ao SBT.

“No caso da carreira policial federal em especial, que vivencia uma esdrúxula e inconcebível distorção salarial entre os cargos que a integram, esperava-se, como medida de justiça, que a implementação de uma reestruturação fosse capaz de corrigir tal situação”, reage a Fenapef.

Leia a íntegra da nota:

“A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), legítima representante dos policiais federais, e congregando os 27 sindicatos estaduais, repudia veementemente o descaso com que os servidores do órgão têm sido tratados pelo atual governo.

É imperioso recordar que a principal plataforma de campanha do Presidente da República foi em torno do fortalecimento da segurança pública e combate à corrupção, combate este que, em sede de crimes federais, é exercido com protagonismo pela Polícia Federal, órgão mais desprestigiado neste governo, a exemplo do que ocorreu com a implementação da Reforma da Previdência, que culminou não apenas com uma verdadeira perda salarial para toda a categoria, mas também na retirada de direitos e conquistas históricos, como o que ocorreu com a aposentadoria policial por tempo de serviço, por invalidez e a relativização da pensão por morte.

Mesmo diante de todo o esforço para conseguir destinar recursos específicos para a necessária e esperada reestruturação das carreiras policiais da União na LDO e na LOA, inexplicavelmente o governo, que em momento algum permitiu a participação das entidades de classe nesse processo, preteriu os servidores da Polícia Federal, lamentavelmente com o “argumento” de que não haveria recurso para que essas reestruturações fossem implementadas, o que é sabidamente uma inverdade.

No caso da carreira policial federal em especial, que vivencia uma esdrúxula e inconcebível distorção salarial entre os cargos que a integram, esperava-se, como medida de justiça, que a implementação de uma reestruturação fosse capaz de corrigir tal situação.

A categoria hoje vivencia um momento cujos sentimentos são de grande decepção, abandono e indignação. Afinal, foram feitas promessas públicas de valorização da Segurança Pública durante a campanha de 2018 e, mais recentemente, da própria reestruturação das carreiras policiais da União e nada se concretizou. O Presidente da República, com esse gesto de descaso, frustra todos os servidores da Polícia Federal, uma das instituições reconhecidamente mais respeitadas do serviço público, fazendo perpetuar históricas distorções salariais internas e desvalorizando a carreira.

A Fenapef reafirma o seu compromisso e incansável luta pela valorização dos policiais federais, protagonistas no combate à criminalidade; bem como pela melhoria e modernização da Segurança Pública, assegurando aos seus sindicalizados que continuará atuando em todas as frentes políticas possíveis para corrigir essas injustiças.

OUTRAS NOTÍCIAS

Entidades de servidores de segurança cobram por plano de reestruturação

Bolsonaro provocou desgaste à imagem da PF, dizem associações de delegados

Presidente promove menosprezo, dizem agentes da segurança

Inquéritos da PF contra crime organizado reduziram 27%