Policiais federais intensificam fiscalização nos aeroportos como forma de manifestação

Fonte: Blog do Elimar Côrtes

Data: 25/05/22

Policiais federais intensificam nesta quarta-feira (25/05) uma série de inspeções minuciosas, com o intuito de promover a conscientização sobre a importância dos trabalhos de fiscalização desenvolvidos em portos e aeroportos do País. A ação começou na noite de terça-feira (23/05) e acontece logo depois de o presidente Jair Bolsonaro (PL) descumprir compromisso firmado com a categoria de reestruturação da Polícia Federal e melhoria salarial para todos os cargos na instituição. A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) denomina a ação de Operação Presença e afirma que o ato tem o cuidado de não prejudicar a sociedade.

Em Belo Horizonte, agentes federais realizaram operação de segurança em dois aviões de passageiros que sairiam de Confins e teriam Brasília como destino. Os passageiros, já embarcados, precisaram sair das aeronaves e as bagagens foram revistadas. As malas despachadas nos voos domésticos do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, na manhã de terça-feira (24/05), foram todas inspecionadas. Os agentes, inclusive, contaram com a participação de cães farejadores.

Em Teresina, agentes, escrivães e papiloscopistas fizeram uma campanha de esclarecimento, batizada de “Operação Presença”, para explicar aos passageiros o grande número de atribuições dos policiais federais. E, em Fortaleza, os policiais federais voltaram a protestar em frente à Superintendência Regional. Eles levaram faixas pedindo o cumprimento de promessas feitas à categoria.

“Queremos mostrar à sociedade que temos uma série de atribuições e que estamos cansados das idas e vindas sobre a reestruturação e a prioridade que nos foram prometidas. Por isso, estamos trabalhando ainda mais”, disse o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Marcus Firme.

Nas ações desenvolvidas em portos e aeroporto, o presidente da República  tem  sido alvo de manifestações de policiais federais. A categoria cobra que Bolsonaro cumpra as promessas de reestruturar a corporação. No fim de 2021, o Presidente garantiu que destinaria uma verba já prevista de R$ 1,7 bilhão para reajustar salários dos agentes federais de segurança, que incluem os policiais federais, agentes penitenciários e policiais rodoviários federais. No entanto, manteve a promessa apenas para os profissionais da PRF.

Na terça-feira, o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Luciano Leiro, já havia declarado que a PF sofre retaliação do Governo Federal e reforçou a cobrança para que o presidente Jair Bolsonaro honre o compromisso que fez pela reestruturação da instituição.

OUTRAS NOTÍCIAS

Inquéritos da PF contra crime organizado reduziram 27%

Mais de 1.200 convocados para PF e PRF

Bolsonaro recua de reajuste maior para policiais e diz que tendência é de 5% a todos os servidores

Bolsonaro indica que vai recuar de reajuste mais alto para policiais