Para presidente da Fenapef, união dos servidores públicos é a forma de evitar que o governo aprove a Reforma Administrativa sem debates, sem discussão e sem resistência

Boudens participou da live do Dia Nacional em Defesa do Serviço Público

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 25/03/21

“Sem articulação e união, ninguém vai sobrar dessas reformas, a não ser os militares e alguns grupos estrategicamente excluídos das reformas”. Assim o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, resumiu as razões por que mais de cem entidades representativas das forças de segurança se uniram ao Movimento Basta e à Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Frente Servir). Boudens participou, nessa quarta-feira (24), da live do Dia Nacional em Defesa do Serviço Público.

A movimentação reuniu mais de mil servidores públicos de diversas áreas para alertar a sociedade sobre os riscos de desmonte do Estado brasileiro contidos na Proposta de Emenda Constitucional 32/2020. Para o presidente da Fenapef, a grande adesão ao movimento e a elevada audiência da live demonstram que os servidores públicos despertaram. “Como o próprio ministro já disse, a Reforma Administrativa será a quarta granada no bolso do servidor”, disse, referindo-se a declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes. Em reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no dia 22 de abril, Guedes disse que a proposta de congelamento de salários era uma ‘granada no bolso do inimigo’.

“Nós tentamos resgatar algo de bom da Reforma Administrativa para a segurança pública, mas rapidamente percebemos que não há qualquer intenção de prestigiar qualquer categoria, nem o pessoal da segurança, nem da saúde, nem da educação, nem das áreas de fiscalização, nem qualquer outra”, explicou Boudens. Para ele, o momento é de união “para que o governo não passe essas reformas, de forma açodada, retirando tantos direitos”.

Articulações

O Deputado Israel Batista, presidente da Frente Servir Brasil, esteve em reunião nesta quarta-feira (24) com o relator da Reforma na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara, (CCJC), deputado Darci de Matos (PSD-SC).

Do encontro, saiu a informação de que a CCJC aumentará a quantidade de audiências públicas para ouvir as entidades integrantes do Conselho Curador da Frente Servir. O deputado alertou que é necessário que as entidades se preparem para apresentar seus argumentos nas reuniões.

OUTRAS NOTÍCIAS

Fenapef entrega medalha ao advogado e cônsul honorário do Gabão em Pernambuco, André Fonseca

Fenapef se reúne pela primeira vez com o novo diretor geral

Continua o revezamento de funcionários na sede da Fenapef

Boudens: “precisamos evitar a explosão da quarta granada nos nossos bolsos”