‘Inaceitável’, ‘absurdo’, ‘atentado’… Entidades ligadas à PF repudiam reação de Jefferson à prisão

Fonte: Agência Jornal de Notícias online

Data: 25/10/22

Foto: Divulgação/Rede Social

Entidades ligadas à Polícia Federal repudiaram a reação violenta neste domingo (23) do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) à prisão. De dentro de casa, na cidade de Comendador Levy Gasparian (RJ), o aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL) atacou policiais federais que cumpriam ordem judicial, com tiros de fuzil e granadas. Dois agentes ficaram feridos.

Após oito horas de descumprimento de determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), Jefferson se entregou. Ele foi preso por violar medidas de prisão domiciliar e também detido em flagrante sob a acusação de tentativa de homicídio.

Para associações ligadas à Polícia Federal, a reação do ex-deputado é “inaceitável”, “absurdo atentado” e merece “rigorosa punição”

A Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) afirmou, em nota, que é “totalmente inaceitável qualquer tipo de violência contra policiais federais” e prestou solidariedade aos agentes feridos.

“A ADPF estima pela pronta recuperação dos policiais federais vítimas desse absurdo atentado. Os Delegados Federais vão acompanhar vigilantes o desdobramento dos fatos e exigirão uma rigorosa punição ao responsável pelas agressões”, diz o documento.

Também em nota, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) disse que a atitude de Jefferson atenta contra o Estado e ofende a ordem jurídica.

“A Fenapef cobrará das autoridades competentes a rigorosa apuração dos fatos até a efetiva responsabilização criminal do autor pelas múltiplas tentativas de homicídio praticadas contra os integrantes da equipe no exercício da função policia”, diz a entidade.
A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF) classificou o ato como “desrespeito inaceitável” à Polícia Federal e ao Judiciário.

“A Constituição e as leis brasileiras, típicas de um Estado Democrático de Direito maduro e consolidado, estabelecem a possibilidade de questionamento a decisões judiciais por meio de diversas medidas processuais. O desrespeito a esse sistema e às instituições republicanas, como a PF e o Judiciário, é inaceitável, sobretudo quando cometido com o uso de violência armada”, diz nota da APCF.

Íntegras
 
Leia abaixo as íntegras das notas divulgadas pelas associações e entidades ligadas à PF:

ADPF

A Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) repudia veementemente o ataque sofrido por policiais federais durante o cumprimento de mandado de prisão, neste domingo (23/10), na casa do ex-deputado Roberto Jefferson, no município de Levy Gasparian, no Rio de Janeiro.

É totalmente inaceitável qualquer tipo de violência contra policiais federais, em especial no cumprimento do dever legal estabelecido pela Constituição Federal.

A ADPF estima pela pronta recuperação dos policiais federais vítimas desse absurdo atentado. Os Delegados Federais vão acompanhar vigilantes o desdobramento dos fatos e exigirão uma rigorosa punição ao responsável pelas agressões.

Brasília, 23 de outubro de 2022

Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF)

Fenapef

A Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF), entidade de âmbito nacional que congrega 27 sindicatos estaduais e representa mais de 14.000 policiais federais brasileiros, vem a público manifestar o seu mais veemente repúdio ao ato de violência praticado pelo ex-deputado e ex-presidente nacional do PTB Roberto Jefferson, o qual recebeu (segundo vídeo de sua autoria postado nas redes sociais), a tiros e granada, uma equipe de quatro policiais do Setor de Inteligência Policial da Superintendência Regional da PF do Rio de Janeiro (SIP/SR/PF/RJ), durante o cumprimento de mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal, vindo a ferir dois policiais federais, sendo uma Agente e um Delegado.

A reação violenta contra policiais é um atentado contra o próprio Estado e uma ofensa incomensurável à ordem jurídica. A inconformidade em face de decisões judiciais deve ser demonstrada no terreno adequado, que são os próprios autos, nos termos da Constituição Federal de 1988, e nunca, através do exercício arbitrário.

A FENAPEF acompanha o caso de perto e prestará todo apoio, por intermédio do Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro (SSDPFRJ), aos colegas policiais federais feridos durante o cumprimento da missão.
 
Outrossim, a Federação Nacional dos Policiais Federais cobrará das autoridades competentes a rigorosa apuração dos fatos até a efetiva responsabilização criminal do autor pelas múltiplas tentativas de homicídio praticadas contra os integrantes da equipe no exercício da função policial.

Brasília, 23 de outubro de 2022.

Marcus Firme dos Reis

Presidente da FENAPEF

APCF

A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF) presta solidariedade aos policiais federais agredidos gravemente no cumprimento constitucional do dever policial. Desejamos recuperação aos colegas feridos.

A Constituição e as leis brasileiras, típicas de um Estado Democrático de Direito maduro e consolidado, estabelecem a possibilidade de questionamento a decisões judiciais por meio de diversas medidas processuais. O desrespeito a esse sistema e às instituições republicanas, como a PF e o Judiciário, é inaceitável, sobretudo quando cometido com o uso de violência armada.

O que hoje aconteceu no Rio de Janeiro, mediante resistência ao cumprimento de decisão determinada pelo Judiciário e por meio do emprego de violência contra policiais, deve ser repudiado e tratado com todo o rigor da lei.

Brasília-DF, 23 de outubro de 2022

Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF)

Fonte: G1

OUTRAS NOTÍCIAS

Estado de Minas - O que se sabe da prisão de Roberto Jefferson

Hora do Povo - Fenapef repudia atentado de Jefferson contra "a vida de policiais federais"

Bol - Jefferson deveria ter sido tratado como criminoso perigoso, diz Fenapef

Blog do Magno - Prisão de Roberto Jefferson teve erros na gestão da crise