Boudens afirma na CDH do Senado que reforma da Previdência é insensível às questões sociais

Data: 18/04/17

Mesmo com o adiamento da leitura do relatório da reforma da Previdência, prevista para esta terça-feira, 18, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), manteve sua agenda de luta contra a PEC 287.

Nesta manhã, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, participou de debate sobre as "Reformas previdenciária e Trabalhistas" realizada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal, ocasião em que afirmou que, ao propor a reforma da Previdência, o governo não demonstrou a mínima sensibilidade com a segurança pública e com a educação.

Ele reafirmou a posição dos policiais federais pela rejeição da PEC 287 em sua totalidade. "Nós, profissionais de segurança pública, nos unimos através da União dos Policiais do Brasil, para lutar contra a reforma da Previdência, não para olhar para o nosso próprio umbigo. O mal inserido nesta reforma é muito grande para todos os trabalhadores brasileiros. O nosso discurso deve ser de união. O povo precisa acordar", foi assertivo.

O debate teve seu foco voltado para os efeitos das mudanças propostas nas regras para aposentadoria dos policiais e para os professores, que no texto atual da PEC 287/17, deixarão de ter aposentadoria diferenciada conforme a natureza de sua atividade de risco e passarão a ter a idade mínima de 65 anos e tempo de 25 anos de contribuição para requerer o benefício, tanto para homens quanto para mulheres. Atualmente esses profissionais têm direito à aposentadoria especial, com 30 anos de contribuição para homens e 25 para mulheres, sem idade mínima.

Participaram do encontro mais de 20 representantes de diversas entidades ligadas aos profissionais de segurança pública e da educação.

Dando continuidade à agenda, o presidente da Fenapef se juntou aos demais profissionais de segurança pública que integram a União dos Policiais do Brasil, em Brasília para o Dia da Luta pela Valorização do Profissional de Segurança Pública, que aconteceu em frente ao Congresso Nacional.

OUTRAS NOTÍCIAS

Policiais Federais acompanham votação da PEC 287

GT das Mulheres inicia trabalhos no Congresso Nacional