“Segunda onda de covid-19 já chegou à PF”, alerta federação dos policiais

Fenapef pede que policiais com mais de 60 anos ou com doenças crônicas passem ao teletrabalho

Fonte: Congresso em Foco

Data: 29/12/20

Levantamento realizado pelos sindicatos da Polícia Federal em todo o país aponta um aumento maciço de casos covid-19 entre os servidores da instituição. Os dados, que foram repassados à Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), mostram que os casos confirmados de servidores infectados pela covid-19 aumentaram 151% entre setembro e dezembro deste ano. Também cresceu o número de casos sob averiguação: 139%. Já o total de mortos pela covid-19 na PF, entre ativos e aposentados, teve um salto de 65% no período.

Segundo a pesquisa, pelo menos 868 servidores foram infectados pelo coronavírus. Desses, 15 morreram. Os números podem ser ainda maiores, uma vez que alguns sindicatos não conseguiram repassar suas estatísticas para a federação.


 
Veja a distribuição dos casos de covid entre policiais federais, estado por estado

Leia mais
Sergio Moro e André Mendonça batem boca por Bolsonaro

29 dez, 2020
Pandemia alimentou vírus da corrupção, diz ex-presidente do TCU

28 dez, 2020
O presidente da Fenapef, Luís Antônio Boudens, considera que “a segunda onda da doença já chegou à Policia Federal”. A federação apresentou os números ao comando da PF e pediu a máxima atenção à saúde dos policiais federais. A entidade solicitou que seja adotado o teletrabalho para o policial que pertencer a algum grupo considerado de risco, como aqueles que têm mais de 60 anos ou são portadores de doença crônica ou qualquer outra que afete a imunidade. A Fenapef também pediu que, durante a pandemia, só sejam deflagradas operações consideradas urgentes e inadiáveis.

Boudens atribui o crescimento dos casos, em parte, ao aumento no número de operações policiais consideradas não-prioritárias ou realizadas de forma sequenciada, sem a atenção aos cuidados necessários. Segundo ele, isso ocorreu por causa demanda de operações gerada pela expedição de ordens judiciais nos estados, que se acumularam por conta do período eleitoral, e também pela busca de alguns dirigentes estaduais em "bater metas" de produtividade.

Ainda no início da pandemia, em 31 de março, a Fenapef editou portaria estabelecendo protocolo de ações de enfrentamento à pandemia. O documento serviu como guia de atuação e foi adotado pelos representantes sindicais das 27 unidades federativas do país.

O Rio de Janeiro é o estado com o maior número de casos confirmados de covid-19 entre policiais federais: são 153. O Rio tem, ainda, outros 198 casos sob investigação. Duas mortes de servidores foram confirmadas no estado. De acordo com a Fenapef, há um surto da doença na Delegacia Especial do Aeroporto Internacional (Deain) do Galeão, no Rio de Janeiro, onde uma funcionária terceirizada morreu e as equipes estão reduzidas por conta do elevado índice de contágio entre os servidores.


 
Em resposta ao Congresso em Foco, a assessoria de comunicação da Polícia Federal informou que a instituição não comenta sobre o estado de saúde de seus servidores.

OUTRAS NOTÍCIAS

Decreto legislativo para barrar decreto do Executivo que muda a gestão da previdência do servidor

Conheça os primeiros apoiadores do Prêmio Congresso em Foco 2021

Entrevista: Presidente Boudens fala ao Saúde do Meio

Concurso PF: Federação e sindicato querem seleção para área administrativa ainda neste ano