PF intensificará trabalhos para reforçar importância da corporação

Fenapef e sindicatos da Polícia Federal se reuniram para intensificar mobilização pela reestruturação da carreira, prometida pelo governo federal

Fonte: Correio Braziliense

Data: 23/05/22

(crédito: Raphael Felice/CB/DA.Press)

Membros da Polícia Federal resolveram se manifestar de forma diferente na próxima semana após Assembleia Geral Extraordinária (AGE), realizada nessa quinta-feira (19/5). Em vez de paralisações ou greves, os agentes vão intensificar os trabalhos de fiscalização em portos, aeroportos, empresas de segurança privada, clubes de tiro e concessão de registros de porte de armas para caçador, atirador e colecionador (CAC) para reforçar importância da corporação.

A mobilização é um protesto contra o governo pela sinalização de não-cumprimento da promessa de reestruturar carreiras policiais pagas pela União. Durante a construção do Orçamento de 2022, no ano passado, o presidente Jair Bolsonaro (PL), prometeu aos policiais federais que reestruturaria a carreira, mas após manifestações de outras categorias do funcionalismo público da União, acabou recuando e anunciou um reajuste linear de 5%. Ainda não foi tomada nenhuma decisão definitiva.

Palavras soltas

Segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), a intensificação dos trabalhos será para reforçar a importância da categoria e deve iniciar já na semana que vem, com maior esforço nos trabalhos de fiscalização em aeroportos.

O presidente da Fenapef, Marcus Firme, afirma que a categoria cansou de esperar aceno do governo para negociar a reestruturação das carreiras e que as promessas não cumpridas, conflitos de informações e declarações desencontradas atropelaram o apelo do Executivo por uma trégua, pelo menos até o dia 22.

“Tudo o que temos são palavras soltas. Nunca houve uma mesa de negociações com representantes das categorias”, disse. Com o prazo para definição se esgotando, os policiais federais decidiram reforçar os movimentos pela valorização da categoria, “mas sem prejudicar a sociedade”, disse.

Na avaliação da Fenapef, as declarações e reuniões das quais participou o presidente da República ao longo da semana foram um sinal de que a União não incluirá os policiais federais como uma prioridade.

De acordo com as últimas informações, a reestruturação dos salários será concedida apenas para os policiais rodoviários federais, cujos salários devem ser equiparados aos dos agentes da Polícia Federal. Para os demais, restariam os 5% de reajuste, prometidos para todos os servidores públicos.

 

OUTRAS NOTÍCIAS

Inquéritos da PF contra crime organizado reduziram 27%

Mais de 1.200 convocados para PF e PRF

Bolsonaro recua de reajuste maior para policiais e diz que tendência é de 5% a todos os servidores

Bolsonaro indica que vai recuar de reajuste mais alto para policiais