Para presidente da Fenapef, realização do concurso vai depender, além da PF, da decisão de cada prefeitura

Fonte: Direção Concursos

Data: 04/03/21

Com diversos estados decretando lockdown e o fechamento das escolas, o concurso PF preocupa diversos concurseiros. No entanto, segundo próprio órgão e presidente da Fenapef, calendário está mantido – e motivo também envolve uma questão orçamentária.

As provas do concurso PF estão marcadas para o dia 21/3 e, de acordo com o presidente da Fenapef, o ponto que a Polícia Federal está atenta é a questão das aberturas das escolas.

“A Polícia Federal precisa aguardar também a decisão das prefeituras”, explicou Luís Boudens.

A Polícia Federal está observando a situação dos municípios e dos estados, em especial pelas aberturas das escolas, mas mantém posição.

A decisão, no entanto, vai de encontro a diversos decretos pelo país que não permitem a realização de eventos ou atividades, independentemente do número de pessoas.

A exemplo, está o estado da Bahia, cujo decreto recente não permite nenhuma aglomeração de eventos ou atividades no período de 3 de março até 1 de abril.

O concurso público oferta 1.500 vagas para os cargos de Agente, Papiloscopista, Delegado e Escrivão.

Todas as oportunidades são para nível superior completo e oferecem salários iniciais por volta de R$ 12 mil até R$ 23 mil.

Além das vagas previstas, são aguardadas mais 500 chances de ingresso como excedentes, que poderão ser chamados ao longo do ano de 2022.

Intenção de realizar provas envolve questão orçamentária
Um dos motivos que podem justificar a insistência da Polícia Federal em realizar as provas no dia 21 de março é uma questão orçamentária e financeira.

Conforme o cronograma divulgado, as convocações dos candidatos aprovados já se iniciaria ainda neste ano de 2021.

Se, por alguma razão, não fosse possível concluir as nomeações ou realizar as provas, a Polícia Federal teria que receber autorização na LDO e dotação orçamentária na Lei Orçamentária do próximo ano.

“Se não fizer esse concurso esse ano e não nomear, o pessoal fica pendente, dependente de colocar essas nomeações no orçamento de novo”, explica Marcel Guimarães, consultor do senado e especialista em orçamento público.

Segundo o consultor, isto poderia atrapalhar o planejamento inicial dos prazos pensado pela Polícia Federal.

“Se tivesse, por exemplo, a previsão no orçamento de nomeações de mil candidatos este ano, se não nomeou esse pessoal até dezembro, você perde a autorização”, detalha Guimarães.

Com isso, seria necessário colocar de novo no orçamento do próximo ano. “Normalmente, não é complicado, mas realmente é um parto, porque você passa a depender da aprovação da LOA”, explica, citando a LOA deste ano que será votado somente no final de março.

Resumo concurso PF
Situação: edital PUBLICADO
Banca Organizadora: Cebraspe
Cargos Oferecidos: Agente, Escrivão, Papiloscopista e Delegado
Escolaridade Exigida: nível superior (Delegado exige Direito)
Inscrições Abertas: de 22/1/2021 a 9/2/2021
Taxas da Inscrição: de R$ 180 a R$ 250 (dependendo do cargo)
Data de Provas Objetivas: 21/03/2021
Vagas Disponíveis: 1.500 mil vagas somadas a 500 excedentes no ano seguinte
Remunerações iniciais: de R$ 12 mil até R$ 23 mil

OUTRAS NOTÍCIAS

Valor Econômico destaca nota da Fenapef

Ao Estadão, Boudens diz esperar que Maiurino resolva questões internas da PF:

Nota da Fenapef repercute no Antagonista

Presidente Boudens fala à CNN sobre novo diretor geral da PF