Na abertura do II Congresso do IEDF, presidente da Fenapef defende humanização das forças policiais

Para Boudens, sociedade quer polícia preventiva e parceira

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 10/06/21

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, foi um dos palestrantes da mesa de abertura do II Congresso do Instituto Brasileiro de Educação em Direitos e Fraternidade (IEDF) e VII Seminário do Grupo Comunhão e Direito do Centro-Oeste nessa terça-feira (8). Boudens é um dos autores da primeira obra coletiva do IEDF, lançada oficialmente na cerimônia.

Várias autoridades se revezaram na abertura do evento, voltado para fomentar a solidariedade e a fraternidade no estudo e no acesso ao Direito. Sob o tema “Tecnologia, Educação e Fraternidade”, o congresso reúne estudiosos, professores, magistrados, membros do Ministério Público, Procuradores, Defensores Públicos, advogados e demais atores para apresentar experiências e propostas concretas de como se viver a fraternidade no Sistema de Justiça e de Ensino e a importância da educação em direitos nas escolas em novos tempos.

Boudens destacou a importância de fortalecer a esperança de construção de um modelo de justiça e de segurança pública onde a polícia esteja mais próxima da população. “A sociedade sempre espera da polícia muito mais uma parceria e um trabalho de prevenção do que uma força armada”, lembrou. “É na tentativa de resgate dessa dívida social com a população, por meio da polícia, que nós integramos grupos como este”, prosseguiu.

O presidente da Fenapef disse que a atuação das forças de segurança como promotoras de ações de prevenção à criminalidade está prevista na Constituição. “Nós, da Fenapef, lutamos pela formação mais moderna e mais adequada do policial federal, que seja mais próxima do cidadão e nos garanta esse conceito de polícia humanizada, republicana, democrática e criada para ser cidadã”, assegurou.

A iniciativa do encontro, que prossegue até a quinta-feira (10), é do Instituto Brasileiro de Educação em Direitos e Fraternidade – IEDF, o Grupo Internacional Comunhão e Direito, Defensoria Pública do Distrito Federal – DPDF e a Escola de Assistência Jurídica, Easjur. A Fenaef apoia o evento.

OUTRAS NOTÍCIAS

Alerta: “A PEC 32 vai promover o desmonte do serviço público”

Saúde mental de policiais durante a pandemia é tema de debate na Câmara

Presidente da Fenapef é um dos autores do livro ‘Prevenção: Instrumento e Fraternidade’

Organização anacrônica das polícias atrapalha eficiência da segurança pública brasileira