Ato contra reforma da previdência policial reúne entidades de todo o País

Gramado em frente ao Congresso Nacional ficou tomado por entidades representativas da segurança pública que protestaram contra a reforma proposta pelo governo federal

Fonte: Comunicação Fenapef

Data: 22/05/19

Álbum de fotos do ato, clique aqui.

Mais de três mil vozes gritaram, nessa terça-feira (21), contra a reforma da previdência, em Brasília. Em ato organizado pela União dos Policiais do Brasil (UPB), operadores de segurança pública de todo o País se uniram em frente ao Congresso Nacional para pedir o fim da reforma que retira direitos já conquistados.

Se a reforma passar hoje como está, além de fixar uma idade mínima de aposentadoria para os policiais federais, que hoje não existe e passaria a ser de 55 anos para ambos os sexos (sem qualquer regra de transição), a proposta retiraria também a atividade de risco policial do texto constitucional; a integralidade e paridade para todos os policiais, independentemente da data de ingresso nas forças, e ainda reduziria drasticamente a pensão nos casos de morte de policial em serviço ou em função dele. Além disso, retiraria a diferenciação do tempo de atividade policial entre homens e mulheres.

“Não somos contra uma reforma, queremos deixar claro isso, mas esperávamos que o governo tivesse uma visão diferenciada do nosso trabalho e das nossas especificidades. Não podemos permitir retrocessos como esses”, afirma o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), André Gutierrez, o ato dessa terça não foi político, mas é importante que haja o apoio dos parlamentares e do governo federal. “Nós sabemos o que estamos fazendo aqui. Estamos desacreditados do que nos foi prometido durante toda a campanha eleitoral e após a instalação do novo governo. Estão nos tirando tudo o que já conquistamos. Essa luta é exemplo de união, independentemente da entidade.”

Durante o ato, diversos deputados federais passaram pelo trio que abrigava as lideranças das entidades presentes. Entre eles, Ubiratan Sanderson, também policial federal. “Ninguém é mais forte do que todos nós juntos”, bradou o parlamentar, que prometeu fortalecer a luta da categoria dentro da Câmara.

Emenda
Na última semana, foi protocolada na Câmara dos Deputados, pelo deputado Hugo Leal, a chamada Emenda da Segurança Pública. Essa foi a primeira emenda a ser registrada com esse conteúdo na Casa e teve 266 assinaturas válidas. O texto foi construído pela UPB e assegura regras justas de aposentadoria que estão sendo suprimidas na atual proposta do governo.

Agora, a emenda aguarda análise da comissão especial da reforma e, posteriormente, do plenário da Câmara.

OUTRAS NOTÍCIAS

Fenapef vai debater economia gerada pela carreira única na Polícia Federal

Fenapef vai a Sergipe apoiar mudança na estrutura da carreira da Polícia Civil

Federação de Policiais Federais pede investigação do ex-Diretor da PF

Aluísio Mendes e Policiais Federais protocolam PEC que reorganiza a PF