Votação da reposição Inflacionária dos Policiais Federais é adiada

18 de outubro de 2016

3

A Diretoria da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), os presidentes dos sindicatos dos policiais federais de todo Brasil e sindicalizados estiveram presentes na tarde de hoje na reunião deliberativa ordinária na Comissão Especial da Câmara dos Deputados para discussão e votação do parecer do Deputado Laerte Bessa (PR-DF) sobre o PL 5865, do Poder Executivo, que dispõe sobre a remuneração da Polícia Federal e outras categorias.

A reunião foi iniciada mas não teve prosseguimento, devido a abertura da ordem do dia do Congresso Nacional que interrompe obrigatoriamente todos os trabalhos da Câmara dos Deputados. A nova votação será amanhã, 19, às 14h00, no plenário 12, anexo II da Câmara. Com a aprovação do relatório final o projeto seguirá para apreciação no Senado Federal.

As categorias contempladas no projeto aguardam que a votação seja realizada sem emendas e para isso é preciso que seja retirada de pauta a emenda parlamentar que inclui os policiais civis do Distrito Federal, proposta pelo deputado Rogério Rosso (PSD-DF). Os parlamentares pretendem apresentar um projeto específico para os policiais civis e assim atender a todos os servidores.

O reajuste que está sendo concedido trata de uma reposição das perdas da inflação, definida como “revisão geral anual” na Constituição Federal (Art.37, X). O Presidente da Fenapef, Luis Boudens, explica que o PL 5865 contempla o acordo celebrado com o governo anterior para repor as perdas inflacionárias desde 2007, cujas negociações se arrastaram por anos e que mesmo assim não contempla as perdas salariais sofridas pelos policiais federais com a inflação do período.

A representantes da Fenapef e sindicatos continuam no congresso em contatos com parlamentares. “Estamos confiantes que amanhã conseguiremos aprovar o PL 5865 sem emendas para que siga o trâmite sem atropelos, para isso é necessário estarmos mobilizados e presentes na reunião que acontecerá às 14 horas”, afirma o diretor parlamentar da Fenapef, Marcus Firme.

2



Outras notícias