Policial federal desenvolve estudo sobre a relação do desenho urbano com ocorrências criminais

9 de Janeiro de 2018

Arquiteto e urbanista, mestre e doutor pela Universidade de Brasília (UnB), o agente de Polícia Federal Flávio Ferraz defendeu em novembro de 2017 sua tese de doutorado com o tema “Relações entre desenho urbano e ocorrências criminais – o caso do Distrito Federal”.

Segundo Ferraz, seu estudo visa determinar como o desenho urbano guarda relação com o cometimento de crimes. “Na literatura vinculada ao urbanismo são comuns as afirmações de que locais com maior número de pessoas, diversidade de usos e aberturas entre as áreas internas dos lotes e espaços públicos são mais seguros; minha pesquisa teve como objetivo analisar tais relações com um número de registros criminais do Distrito Federal entre os anos de 2009 a 2013. Foram analisadas as relações entre desenho urbano, além de variáveis socioeconômicas e de sintaxe espacial”, explicou.

Foram considerados os registros de furto de veículos, roubo a transeuntes, sequestro relâmpago, roubo a residência, roubo a comércios e de veículos. Também foram analisados estupros e homicídios. Ferraz concluiu que os criminosos escolhem seus locais de atuação de acordo com o tipo de crime que praticam.

Auxílio à capacitação

O pesquisador acredita que estudos como o seu contribuem para melhor capacitação dos servidores de Segurança Pública, dando condições para realizar novas pesquisas e conduzir estudos avançados. Para Ferraz, entender a dinâmica da violência nas cidades foi a forma que encontrou para contribuir no combate à criminalidade vinculada ao desenho urbano.

O vice presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) e presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal (SINDIPOL/DF), Flávio Werneck, parabenizou Ferraz pelo excelente trabalho de pesquisa e destacou que este trabalho representa mais um avanço para a atividade dos policiais federais. “São estudos como este que apresentam soluções que visam melhorar o nosso trabalho e a eficiência da Segurança Pública brasileira. Ele merece apoio incondicional e reconhecimento; pois compartilha com a sociedade o conhecimento técnico dos policiais federais, apontando soluções para o caos em que vive a Segurança Pública no País”, afirmou Werneck.

Leia a pesquisa na íntegra

Fonte: Sindipol/DF



Outras notícias