PF faz operação contra funcionários no Aeroporto do Galeão envolvidos em tráfico internacional de drogas

19 de dezembro de 2017

Agentes da Polícia Federal estão nas ruas desde o início da manhã desta terça-feira numa operação contra a máfia da corrupção que atua no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. As equipes visam a cumprir 36 mandados de prisão e um de condução coercitiva contra suspeitos de tráfico internacional de drogas. As informações são do “Bom Dia Rio”.

Dois funcionários da Receita Federal são alvos da ação. Já os demais mandados contra funcionários e terceirizados da Infraero.

Vinte e quatro pessoas já foram presas. Os suspeitos são envolvidos em crimes de tráfico de drogas, contrabando e descaminho e desvio de bebidas de aeronaves.

A investigação sobre a atuação do bando começou em fevereiro deste ano. Naquela ocasião, a PF descibriu que uma mala foi despachada do Rio em voo para Amsterdam. A bagagem, porém, estava em nome de um casal que seguiu para Salvador. A mala foi devolvida para o Galeão e, quando passou pelo raio-X, foram descobertos 37 quilos de cocaína dentro dela.

Para o tráfico de drogas, o esquema funcionava da seguinte maneira: nomes de passageiros de voos domésticos eram escolhidos aleatoriamente. Etiquetas com os nomes dessas pessoas eram impressas e colocadas em malas com drogas. A bagagem entrava pelo porão e eram colocadas em voos internacionais, normalmente com destino à Europa.

Já para o contrabando, as malas de voos internacionais — a maioria deles com destino a Miami, nos Estados Unidos — não passavam pela fiscalização da Receita Federal. Para que a vistoria não acontecesse, a bagagem era desviada para as esteiras dos voos domésticos.

Os funcionários de empresas aéreas e da Receita Federal são suspeitos de também facilitarem a saída de malas com roupas, aparelhos eletrônicos e até cabelos.

Fonte: Extra



Outras notícias