Dirigentes sindicais se reúnem em Brasília para negociações salariais

3 de Maio de 2016

Esforço conjunto visando o fechamento de acordo com o Governo Federal que atenda aos pleitos dos policiais federais.

Na tarde de ontem (02), representantes dos 27 sindicatos filiados e seus Diretores, que representam mais de 15 mil policiais no país, estiveram reunidos com o Ministro da Justiça, Eugênio Aragão e o Secretário Executivo, Marivaldo de Castro Pereira, em busca do fechamento das negociações salariais e de carreira para a Polícia Federal.

Na reunião, os policiais federais reafirmaram a necessidade de ser atendida a pauta do Termo de Acordo conjunto, celebrado entre as representações da Polícia Federal (ABRAPOL, ADPF, ANEPF, ANSEF, APCF, FENADEPOL e FENAPEF) por meio de Ofício encaminhado pelo Diretor-Geral ao Ministério da Justiça e do Planejamento.

Os Deputados Federais Aluísio Mendes, Ademir Camilo e Luís Carlos Ramos, todos da bancada do PTN, prestaram apoio aos pleitos dos policiais federais.

O Ministro da Justiça esclareceu os principais pontos que envolvem a negociação e os caminhos que percorrerá para se chegar a uma solução que atenda os anseios da Polícia Federal e que cumpra os preceitos da responsabilidade fiscal.

13115989_953145488125986_7925454821760710970_o

Esclarecimentos:

Tendo em vista notícia divulgada na imprensa que atribuí a FENAPEF afirmações sobre ameaças ao Ministro da Justiça e às investigações da Lava Jato realizadas pelos “analistas” da PF, caso não houvesse acordo salarial. a FENAPEF esclarece que tais afirmações não são a posição oficial da entidade representativa dos policiais federais fazer qualquer tipo de ameaça a quem quer que seja, menos ainda a autoridades públicas.

O Presidente da FENAPEF Luis Boudens afirmou ainda que os representantes não usam o termo “analistas” na Polícia Federal como citou a nota, uma vez que não existe o cargo de analista na PF. “Seria um total contra senso estar sentado à mesa com o Ministro da Justiça e utilizar os meios de imprensa para propagar ameaças despropositadas. Não é padrão nosso e iremos investigar o ocorrido, uma vez que há diversos interesses externos que buscam  atrapalhar essas negociações e impingir escolhas políticas aos policiais federais”, afirmou Boudens.

A FENAPEF aguarda hoje (03) uma reunião com a Direção Geral da PF e com o Ministério do Planejamento. Ainda para esta semana uma nova reunião com o Ministro da Justiça para fechamento de uma proposta final nas negociações de cargos e carreira dos policiais federais.



Outras notícias