Agente federal aborda segurança pública em livro

19 de Maio de 2014

A insegurança da população, um dos assuntos mais discutidos no momento é o tema do livro de estréia de André Salineiro, que será lançado dia 26 de maio às 19hs na sede da Plaenge, intitulado “Gestão Estratégica em Segurança Pública”.

Logo na primeira página de “Gestão Estratégica em Segurança Pública”, o autor, agente da Polícia Federal de MS, deixa claro que não se trata de um livro técnico ou um manual burocrático.

A obra é antes de tudo, um estudo de propostas feitas por quem tem experiência, e convive rotineiramente com a incerteza da população. Diz ele: “É bom lembrar que vítima é quem sofre males causados por bandidos; estes sim devem ser combatidos”. 

Para o autor, a população não deve implorar por paz e sim exigir leis.  Há oito anos nos quadros da PF em Campo Grande, Salineiro afirma que não existe uma política de segurança pública no Brasil e que o objetivo do livro é analisar e discutir esta questão.

Um dos pontos principais, segundo ele a falta de técnicos nos cargos de gerenciamento público.  Citando o exemplo dos Estados Unidos, diz que é preciso proteger o cidadão e a polícia. “Temos que valorizar a carreira do policial civil e militar e mudar o sistema de seleção e contratação”.

No livro, Salineiro descreve o bom policial na sigla: VAP – vocação, aptidão e personalidade, que segundo ele, são os três requisitos essenciais na carreira. Apaixonado pela profissão, o agente conta que desde cedo queria entrar para a polícia.

Fez duas faculdades antes de prestar o concurso para a PF (Fisioterapia e Direito). Trabalhou em São Paulo no setor de escolta e captura e em Campo Grande, passou pela área de inteligência da Entorpecentes e pela Delepol _ Delegacia de proteção a crimes patrimoniais.

Há um ano pediu para ficar lotado no Aeroporto Internacional de Campo Grande a fim de dedicar mais tempo ao projeto voluntário, de conscientização aos perigos do uso de droga.  São palestras para jovens e familiares que acontecem nas escolas da cidade ou em centros comunitários.

A iniciativa de Salineiro tem rendido ótimos resultados e muitas histórias.  “Às vezes tudo o que o jovem precisa é de uma palavra, de uma orientação”, afirma o autor, reiterando que a prevenção é a melhor forma de combater a violência.

No prefácio de “Gestão Estratégica em Segurança Pública”, o Xerife Eliel Teixeira, – delegado de Los Angeles (EUA) escreve: “… poucas vezes se viu uma necessidade tão grande de discussão inteligente e sensata sobre o atual sistema de segurança pública.

E este trabalho de André Salineiro, Policial Federal e especialista em segurança pública, vem na hora certa… Assim como o mundo do crime evolui a cada segundo, é de suma importância que os agentes da lei estejam na vanguarda da inovação policial, o que vai além da simples aquisição de novas viaturas ou assimilação de novas técnicas. O próprio sistema organizacional de cada polícia deve evoluir juntamente com a sociedade para termos uma força policial efetiva e relevante…”

O autor também faz relatos de vítimas da violência, fala do sistema penitenciário e dedica um capítulo inteiro para abordar a questão dos celulares nos presídios.

Com propriedade, discorre sobre o berço do crime e suas causas, propondo a criação e o fortalecimento das guardas municipais, segundo ele “de extrema importância”. 

A crítica de Salineiro é contundente. Em sua opinião, a falta de uma política eficaz no passado fez com que o crime fosse hoje encarado como um meio econômico de sobrevivência, quando não muito um estilo de vida. Tudo isto através de uma percepção errônea de um futuro promissor. O agente também não poupa a ineficiência dos governos e a falta de um planejamento com ações voltadas a médio e longo prazo.

Segundo ele, a intenção de resolver problemas em curto prazo, e se possível no seu período de gestão, são atitudes que geralmente se tornam ineficazes e inócuas no combate ao crime. É preciso que se mude a concepção sobre a segurança pública, desvinculando paradigmas como “polícia serve é para pegar ladrão”.

A falta de investimentos públicos no setor também mereceu destaque na obra. De acordo como autor, o que se vê no cenário público são recursos insuficientes para o setor, porém, quando muitas vezes disponíveis, ficam sujeitos a desvios por corrupção governamental ou má gestão, falhando em alcançar seu objetivo inicial.

Para Salineiro, uma cidade como Campo Grande onde existem 800 mil habitantes, é inadmissível que existam apenas 10 viaturas para atender toda a população.

Serviço

Como se poderá ver, o livro de André Salineiro é instigante e verdadeiro além de uma obra pautada em dados e bibliografias consistentes. E este é apenas o primeiro. O autor já tem mais dois títulos na gaveta. Um sobre a política de impostos no Brasil e outro sobre a experiência e os bastidores da profissão.

André, é sobretudo um jovem de talento que acredita poder mudar o rumo da sociedade.  “A nossa geração pode não colher os frutos destas mudanças, mas a próxima com certeza”, diz o autor. O lançamento do livro será na Central de Decorados Plaenge, no dia 26 às 19 horas.

 



Outras notícias