PF realiza ”operação padrão da cidadania” em Porto Alegre

5 de setembro de 2012

Os Agentes, Escrivães e Papiloscopistas da Polícia Federal do Rio Grande do Sul, em greve desde o dia 07 de agosto, promoveram uma iniciativa beneficente para marcar o trigésimo dia de greve: depois de passarem a manhã no saguão da Superintendência montando 300 cestas básicas, num verdadeiro mutirão, na tarde de hoje, 05.09, foi feita a distribuição das mesmas.

A primeira instituição a ser beneficiada foi a Creche e Albergue Dias da Cruz, localizada na Avenida da Azenha, nº 366, Esquina com a Ipiranga, onde a distribuição das cestas básicas foi realizada às 15 horas. Amanhã, 06.09, também às 15 horas, a doação será junto à Associação dos Amigos dos Artesãos e Pescadores da Ilha da Pintada (AAAPIP), que mantém uma creche com 100 crianças carentes.

Logo após, os policiais voltaram a se reunir no saguão da Superintendência quando um ato simbólico, com uma torta, marcou a passagem de 30 dias de descaso do governo, ou seja, um mês de greve.

Amanhã, 06.09, às 16 horas, também no saguão da Superintendência, haverá a queima simbólica de diplomas de graduação e pós graduação, em virtude do não reconhecimento, por parte do Governo Federal, da condição de nível superior dos ocupantes dos cargos de Agente, Escrivão e Papiloscopista da Polícia Federal, apesar de uma lei de 1996 exigir essa qualificação de tais servidores.

Enquanto perdurar a paralisação, continuam suspensos os serviços de atendimento ao público, tais como oitivas, porte de arma, atendimento a estrangeiros, controle de empresas de vigilância, bancos e produtos químicos. A emissão de passaportes também está cancelada, sendo atendidos somente os casos emergenciais, tais como viagens com data marcada, doenças e morte, mediante a apresentação de comprovante, além do atendimento a pessoas com mais de 60 anos. A categoria mantém em funcionamento apenas os plantões, as ocorrências em flagrante e custódia de presos.



Outras notícias