3 Perguntas para…

2 de Maio de 2017

Na editoria Metrópole do jornal O Estado de São Paulo, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, responde perguntas sobre a situação das fronteiras no Brasil.

Entrevista

O Estado de S. Paulo: Qual a principal dificuldade enfrentada pela PF para atuar na fronteira atualmente?

Boudens: A primeira delas é a falta de legislação própria sobre o crime organizado. Segundo, hoje as polícias estaduais, por falta de integração entre elas e de uma política nacional de combate de forma aleatória e sem convergência de ações. A terceira dificuldade é a falta de uma política de lotação dos policiais de fronteira.

O Estado de S. Paulo: Qual análise que a federação faz da situação das fronteiras?

Boudens: O quadro é de abandono do Estado.

O Estado de S. Paulo: O plano Nacional de Segurança Pública prevê o trabalho integrado. Isso saiu do papel?

O último plano não passa de uma repetição dos anteriores. Se as estruturas individuais não funcionam, justamente por falta de um modelo apropriado de investigação e de estruturas policiais modernas, a integração dessas forças não será eficaz.

O Brasil insiste nos velhos modelos. (O Estado procurou o Ministério da Justiça, que destacou o trabalho integrado das polícias, que permitiu o enfrentamento e a prisão de suspeitos em poucas horas).


O Estado de S. Paulo

Outras notícias