Abusos serão punidos com rigor em 2009, avisa Tarso

19 de dezembro de 2008

O ministro da Justiça, Tarso Genro, condenou ontem o uso excessivo de grampos e recomendou que a Polícia Federal fique fora da política. Segundo Tarso, o manual de procedimentos da corporação, que pune a “espetaculosidade” e desvios de delegados, será rigorosamente observado em 2009. “Tivemos alguns incidentes nessa fase de adaptação, mas a fiscalização das normas do manual será cada vez mais rigorosa.”

Para Tarso, não é papel da polícia “arvorar-se de fiscal dos bons costumes”, dizendo o que é ético politicamente ou não. “A PF não é polícia política e não deve estar preocupada com os movimentos típicos da ação política, como quem indicou tal pessoa de certo partido para tal cargo”, destacou o ministro.

Ao apresentar o balanço da instituição em 2008, Tarso disse que a PF precisa ter preocupação obsessiva com a qualidade do inquérito. “É preciso cada vez mais apurar com métodos de investigação, inteligência e menos com grampos. A PF não faz mais ações como se fosse um espetáculo cinematográfico.”



Outras notícias